Pron veio ao Brasil lançar “O espírito de meus pais continua a subir na chuva”, romance autobiográfico no qual uma investigação sobre os passatempos de um pai moribundo se transforma numa reflexão sobre os traumas da ditadura civil-militar argentina (1976-1983). Pron é um dos expoentes de uma nova geração de escritores latino-americanos — Alejandro Zambra (chileno), Mariana Enriquez (argentina), Julián Fuks (brasileiro) — que embaralha as convenções literárias e borra as fronteiras entre ficção e realidade para interrogar o passado autoritário da região. Na entrevista, Pron refletiu sobre as relações entre a literatura e a política, sua relação com seu país de origem e as rivalidades que animam brasileiros e argentinos.

P: Em “O espírito de meus pais…”, o narrador recorda o projeto político da geração de seus pais, que combateu a ditadura argentina. Nos últimos anos, tem se encerrado, na América Latina, um ciclo de governos à esquerda, liderados por representantes daquela geração. Esse projeto político fracassou? [Sigue leyendo]

 

O Globo. São Paulo, abril de 2018.